PIS e Seguro-desemprego sofre novo reajuste de valor para 2020

Com a nova decisão do presidente Jair Bolsonaro de elevar o salário mínimo para R$ 1045, um acréscimo de R$ 6 reais quando comparado com a decisão anterior de R$ 1039, além dos trabalhadores assalariados, outras pessoas se beneficiarão com o novo valor. Dentre estas pessoas, os beneficiários do PIS, seguro-desemprego e aposentadorias aumentam para R$ 1045 também. Conforme disse Bolsonaro, o novo valor entra em vigor a partir de 1º de fevereiro. Assim, confira a nova tabela de valores do seguro-desemprego em 2020.

O novo valor do salário mínimo é uma correção do índice, que estava menor do que a inflação. A confusão aconteceu porque o piso nacional foi decretado antes do resultado oficial da inflação do IBGE de 2019. O problema é que o governo estimou uma inflação menor do que aquela que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) registrou de fato. E embora pareça pouco, esses R$ 6 a mais em cada salário-mínimo pago impacta a economia brasileira em 2,3 bilhões de reais.

Valor do PIS/Pasep 2020
Além disso, não é só quem recebe um salário mínimo que é beneficiado, mas todos os trabalhadores e aposentados que tem renda vinculada ao salário mínimo. Entretanto, o PIS/Pasep deve ser de R$ 1045 para todos os beneficiários que trabalharam durante os 12 meses de 2018. Entretanto, quem trabalhou um período menor, recebe o benefício proporcional, sendo o valor mínimo de R$ 87.

Confira os novos valores do PIS abaixo

Proporção(meses trabalhados)

Valor abono 2020

Salário R$1045,00

1 R$  87,10
2 R$  174,16
3 R$  261,25
4 R$  348,33
5 R$  435,41
6 R$  522,50
7 R$  609,58
8 R$  696,67
9 R$  783,75
10 R$  870,83
11 R$  957,92
12 R$  1045,00

* Atenção: Se seu benefício entrou na conta pelo cálculo antigo, saiba que o governo deve corrigir o valor posteriormente.

Quem pode receber o PIS/Pasep?
Para receber o PIS/Pasep, o trabalhador deve ter cadastro no PIS há pelo menos 5 anos, ter recebido salário equivalente a 2 salários mínimos em 2018, ter trabalhado pelo menos 30 dias com carteira assinada em 2018 e ter seus dados cadastrados de forma correta na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

O PIS é pago pela Caixa Econômica Federal aos trabalhadores do setor privado. Já o Pasep é pago aos servidores públicos pelo Banco do Brasil, para quem tem final da inscrição 5.

Confira o calendário de pagamento do PIS em 2020

Nascido em Recebem a partir de  Crédito em conta
Julho 25/07/2019 23/07/2019
Agosto 15/08/2019 13/08/2019
Setembro 19/09/2019 17/09/2019
Outubro 17/10/2019 15/10/2019
Novembro 14/11/2019 12/11/2019
Dezembro 12/12/2019 10/12/2019
Janeiro 16/01/2020 14/01/2020
Fevereiro 16/01/2020 14/01/2020
Março 13/02/2020 11/02/2020
Abril 13/02/2020 11/02/2020
Maio 19/03/2020 17/03/2020

Calendário de pagamento do Pasep 2020

Final da inscrição Recebem a partir de  Crédito em conta
0 25/07/2019 23/07/2019
1 15/08/2019 13/08/2019
2 19/09/2019 17/09/2019
3 17/10/2019 15/10/2019
4 14/11/2019 12/11/2019
5 16/01/2020 14/01/2020
6 e 7 13/02/2020 10/02/2020
8 e 9 19/03/2020 17/03/2020

Valor do Seguro-Desemprego em 2020
Antes de mais nada, saiba que o seguro-desemprego é um direito trabalhista conquistado em 1986, durante o governo  José Sarney, com a finalidade de segurar o desempregado neste momento de fragilidade econômica.

Assim sendo, tem direito a recebê-lo todo o trabalhador com carteira assinada que não tenha sido demitido por justa causa. Além disso, pessoas resgatadas da escravidão (que sim, existe até os dias de hoje) e pescadores profissionais durante o período de pesca proibida também podem requerer o benefício.

Como é calculado o seguro-desemprego?
Dessa maneira, o seguro-desemprego tem um valor relativo, ou seja, depende de quanto o beneficiário ganhou em sua última ocupação. Além do mais, o valor deste benefício se dá através do cálculo dos três últimos salários mínimos antes da demissão. Finalmente, este resultado é dividido por três, o que dará uma média salarial. Sendo assim, essa média será o valor que o beneficiário receberá. Porém, existe um teto de R$ 1.813,03. Como resultado, se a média do beneficiário for maior do que este valor, ele receberá o teto, independentemente de quanto ganhava.

No entanto, o segurado que ganhava até R$ 1.599,61 no momento do desligamento da empresa receberá 80% da média dos três últimos salários. Já quem recebia em média de R$ 1.599,61 a R$2.666,29, terá que multiplicar por 50% o que exceder a R$ 1.599,61 e somar a R$ 1.279,69.

A quantas parcelas de seguro-desemprego tenho direito?
O número de parcelas a que um desempregado tem direito varia entre três e cinco, de acordo com o tempo trabalhado e de quantas vezes já usou o seguro-desemprego na vida. O pagamento do seguro-desemprego em 2020 é feito de três a cinco parcelas, variando de acordo com o número de meses trabalhados e se a solicitação está sendo feita pela primeira, segunda ou terceira vez.


Além disso, o benefício só é válido para aqueles que não têm outra fonte de renda. Quem quer receber o benefício não pode receber outra remuneração, independentemente se é um emprego formal ou informal.

Primeira solicitação do seguro-desemprego em 2020

Segunda solicitação do seguro-desemprego

A partir da terceira solicitação

Como ganhar seguro-desemprego?
Em conclusão, se você trabalhou de carteira assinada e foi demitido sem justa causa, como resultado poderá ter direito ao seguro-desemprego em 2020. Basta solicitar o benefício na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de sua cidade, nos postos do Sine (Sistema Nacional de Emprego) ou pelo site Emprega Brasil.

É provável que quando você foi demitido, seu empregador já tenha fornecido o Requerimento do Seguro-Desemprego preenchido. Ademais, as duas vias desse formulário devem ser levadas ao solicitar o benefício, com a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) e os dois últimos contracheques.

Com informações Seu crédito Digital | 17/01/2020.

Cotações e Índices

Moedas - 21/02/2020 16:08:41
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,392
  • 4,393
  • Paralelo
  • 4,330
  • 4,600
  • Turismo
  • 4,220
  • 4,570
  • Euro
  • 4,741
  • 4,744
  • Iene
  • 0,039
  • 0,039
  • Franco
  • 4,469
  • 4,472
  • Libra
  • 5,669
  • 5,673
  • Ouro
  • 228,110
  •  
Mensal - 03/12/2019
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • -0,05
  • 0,04
  • Ipc/Fipe
  • -
  • 0,16
  • Ipc/Fgv
  • -
  • -0,09
  • Igp-m/Fgv
  • -0,01
  • 0,68
  • Igp-di/Fgv
  • 0,50
  • 0,55
  • Selic
  • 0,46
  • 0,48
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Agendas Tributárias

  • 23/Fevereiro/2020
  • ICMS/SCANC | Refinaria de Petróleo e suas bases, nas operações com combustível derivado de petróleo, nos casos de repasse (imposto retido por outros combustíveis).

Mendonça Contabilidade Ltda
Rua Vilaça 374 3º Andar Sala 304, Centro, São José dos Campos SP   
Fone 12. 3925-0433
atendimento@mendoncasjc.com.br
Desenvolvido pela TBr Web
( XHTML / CSS )