Simples Nacional: Atenção ao recolhimento de tributos e exclusão do regime

Ao final de cada ano a Receita Federal do Brasil verifica a regularidade das empresas quanto ao recolhimento em dia dos tributos federais, estaduais e municipais, para a permanência ou não da empresa no regime do Simples Nacional.

Existem várias razões que levam uma empresa a ser excluída do Simples Nacional, mas hoje nós vamos falar sobre a mais comum delas: a existência de débitos.

As empresas que não estiverem em dia com seus recolhimentos estarão sujeitas a receber da Receita Federal um documento denominado Ato Declaratório Executivo (ADE) que formaliza a intenção do Fisco em promover a exclusão do Simples Nacional. O ADE contém um anexo único que relaciona todos os débitos e outros motivos que levarão à exclusão.

Como saber se sua empresa recebeu este documento?

Para consultar o recebimento ou não do Ato Declaratório Executivo (ADE), existem dois ambientes: O Portal do Simples Nacional e o Portal do Centro Virtual de Atendimento (e-CAC).

Para acesso a ambos ambientes será necessário ter em mãos o Certificado Digital da pessoa jurídica ou o código de acesso. Vale ressaltar que o Certificado Digital utiliza a mesma senha. Já os códigos de acesso são diferentes para cada um dos dois ambientes.

Recebi o ADE, o que fazer?

Primeiramente é imprescindível que a pessoa jurídica tenha um contador de sua confiança para que possam ser feitas as devidas análises e encaminhamentos.

Com o auxílio deste profissional a pessoa jurídica deve regularizar suas pendências. Os débitos tributários devem ser quitados mediante pagamento à vista, parcelamento ou compensação no prazo de 30 dias contados da data da ciência do ADE. A data da ciência será o dia em que a pessoa jurídica consultar a mensagem nos ambientes disponíveis. E  caso a consulta não seja efetuada em até 45 dias contados da data da disponibilização da mensagem, será considerada automaticamente realizada na data do término desse prazo.

Regularizei os débitos, o que acontece?

Após a análise e quitação total dos débitos, identificado dentro do prazo estipulado, a exclusão do Simples Nacional fica automaticamente sem efeito, não havendo necessidade de comparecimento a uma unidade de atendimento da RFB.

Não consegui regularizar os débitos, e agora?

A pessoa jurídica será excluída de ofício do Simples Nacional com efeitos a partir do dia 1º de janeiro do ano subsequente ao recebimento do documento. Ou seja, até 31 de dezembro do mesmo ano a pessoa jurídica continuará optante pelo Simples Nacional e deverá agir como tal.

Vale ressaltar que não há impedimento legal para nova inclusão no regime, ou seja, a Pessoa Jurídica excluída do Simples Nacional poderá solicitar uma nova opção pelo Simples Nacional, caso já esteja com a situação regularizada. O prazo para esta solicitação é entre 01 e 31 de janeiro de 2020.  

Quais impactos para a empresa com a exclusão do Simples Nacional?

A empresa que for excluída do Simples Nacional terá aumento nas obrigações principais e acessórias a serem entregues ao Fisco, acarretando em um aumento no valor contratado junto à contabilidade. Ela também deixará de recolher de forma unificada os encargos e, para empresas que possuem funcionários contratados, serão obrigados a fazer a contribuição previdenciária patronal sobre o valor dos salários.

Por fim, vale destacar o papel fundamental do contador neste processo. É preciso ter certeza de que a sua empresa está contando com profissionais qualificados para fornecer orientações precisas, visando sempre o melhor para o seu negócio.

Fonte: JornalContabil | 19/07/2019

Cotações e Índices

Moedas - 21/08/2019 13:22:51
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,021
  • 4,021
  • Paralelo
  • 4,000
  • 4,200
  • Turismo
  • 4,000
  • 4,240
  • Euro
  • 4,464
  • 4,465
  • Iene
  • 0,038
  • 0,038
  • Franco
  • 4,099
  • 4,099
  • Libra
  • 4,882
  • 4,884
  • Ouro
  • 195,440
  •  
Mensal - 22/07/2019
  • Índices
  • Mai
  • Jun
  • Inpc/Ibge
  • 0,15
  • 0,01
  • Ipc/Fipe
  • -0,02
  • 0,15
  • Ipc/Fgv
  • 0,22
  • -0,02
  • Igp-m/Fgv
  • 0,45
  • 0,80
  • Igp-di/Fgv
  • 0,40
  • 0,63
  • Selic
  • 0,54
  • 0,47
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Agendas Tributárias

  • 23/Agosto/2019
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras.
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte.
  • COFINS.
  • PIS/Pasep.
  • IPI | Imposto sobre Produtos Industrializados.

Mendonça Contabilidade Ltda
Rua Vilaça 374 3º Andar Sala 304, Centro, São José dos Campos SP   
Fone 12. 3925-0433
atendimento@mendoncasjc.com.br
Desenvolvido pela TBr Web
( XHTML / CSS )